Rádio Princesa 1000 - Professores de PE prometem nova greve a partir do dia 29 de maio
  Android Android
celulares
smartphones
Iphone, ipod, ipad IPHONE
IPOD
IPAD
Blackberry Blackberry
celulares
smartphones
  Android Android
celulares
smartphones
Iphone, ipod, ipad IPHONE
IPOD
IPAD
Blackberry Blackberry
celulares
smartphones
Educação  22.05.2015 às 06:40:54 - G1
Professores de PE prometem nova greve a partir do dia 29 de maio
Os professores estaduais de Pernambuco decidiram, em assembleia realizada nesta quinta-feira (21), no Recife, decretar a volta da greve da categoria a partir do dia 29 de maio. Os docentes rejeitaram a proposta do governo estadual de 7,01% de aumento para professores e de 6,12% para analistas e o quadro administrativo, até o final do ano. Desde o início da paralisação, que já teve a categoria de braços cruzados por 24 dias no mês passado, o movimento pede um incremento de 13,01% nos salários para todos os quase 50 mil profissionais.

Em nota divulgada à noite, a Secretaria de Educação de Pernambuco disse lamentar "a decisão tomada pela categoria de profissionais da educação em assembleia, nesta quinta-feira (21), em não aprovar proposta construída mediante diálogo na mesa de negociação. Decisão esta que prejudica a educação, os estudantes e suas famílias".

No dia 29, a categoria se reúne novamente para decidir os rumos do movimento grevista, em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco. De acordo com Fernando Melo, presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Educação em Pernambuco (Sintepe), desde a suspensão do movimento, no último dia 4 de maio, foram realizadas duas reuniões com representantes do governo para tratar da questão salarial. "A proposta fica distante do que pedimos, do que é direito. Vamos engrossar a nossa luta", disse. Cerca de 2 mil professores participaram da assembleia nesta quinta, realizada no Clube Português.

A proposta salarial do governo de Pernambuco leva em consideração a elevação de faixas profissionais dentro do plano de cargos e carreira, segundo o Sintepe. Foram propostas três elevações, o que corresponde a 2% cada, além de retroagir para janeiro o aumento de 0,84% concedido em abril.

A última rodada de negociação entre categoria e governo aconteceu na noite de quarta (20). De acordo com o Sintepe, além do reajuste, o governo propôs abrir concurso de 3 mil vagas ainda em 2015; gratificação para professores que trabalham em presídios aplicada a partir de outubro; além de aumentar em 60% o valor do vale-refeição apenas para professores que cumprem carga de 200 horas-aula e para servidores administrativos com jornada de 8h diárias.

Os professores vaiaram o valor oferecido e foram vestidos com uma camisa que dizia "100%; prometeu, cumpra", em referência à promessa de campanha do governador Paulo Câmara, para os quatro anos de governo. O Sintepe diz que, para que esse percentual seja cumprido, tem que ser dado um reajuste de pelo menos 19% ao ano.

Alguns alunos da rede estadual de ensino compareceram ao Clube Português, em apoio aos professores. Os estudantes Jemerson Tiago, Adryel Freitas e Alex Vinicius saíram do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, para defender os professores. "Acreditamos que a luta não é só deles, mas de toda a educação", destacou Adryel. A primeira paralisação dos professores aconteceu de 10 de abril a 4 de maio.
 
 

Desenvolvido por: